PLYMOUTH SUPERBIRD NO BRASIL!!

Plymouth SuperBird no brasil Plymouth SuperBird no brasil

Chegou ao Brasil na última quarta feira, 03, o primeiro Plymouth Road Runner SuperBird do país!

História do modelo

O Plymouth Road Runner Superbird foi um projeto irmão do Dodge Charger Daytona , criado por duas razões principais: vencer o Ford Torino e vencer na NASCAR.

PLYMOUTH SUPERBIRD NO BRASIL

O Ford Torino e o Cyclone da Mercury, eram os principais carros ganhadores das corridas da Nscar na década de 1960. Dessa forma, a Chrysler criou um carro para bater os outros, com uma aerodinâmica revolucionária, o Dodge Daytona 1969. Era uma adaptação do Charger 500 de produção limitada.

Os engenheiros da Chrysler envolvidos no programa de corrida da empresa pensaram que haviam resolvido o problema para serem mais rápidos do que o Torino e o Cyclone que eram capazes de alcançar aproximadamente 187 e 189 mph, respectivamente. 

Até mesmo Richard Petty, que competiu em Plymouth Road Runner por anos, mudou para a Ford, afim de correr com o Torino mais rápido em 1969, pois estava insatisfeito com o desempenho do carro.

A Plymouth queria Petty de volta, e pode-se dizer que a marca criou o SuperBird exclusivamente para esse propósito.

Depois do Sucesso do Charger Daytona, em 1970 foi apresentado o Plymouth SuperBird. O Superbird era basicamente um Plymouth Road Runner modificado, com traços do Daytona, mais ainda mais aerodinâmico.

plymouth superbird no Brasil

O Superbird, recebeu este nome por sua associação ao desenho animado Road Runner (papa léguas), era mais refinado em termos de acabamento e design do que o Charger Daytona.

O nome “Superbird” apareceu em um decalque colocado nas laterais das aletas verticais do spoiler traseiro, com uma imagem do personagem de desenho animado Road Runner segurando um capacete de corrida. Uma versão menor do decalque também está na porta do farol do lado do motorista.

Plymouth SuperBird
plymouth superbird no Brasil

O Superbird e o Charger Daytona estavam entre os primeiros carros americanos a serem projetados usando um túnel de vento e a usar análises de computador para aerodinâmica.

Sua asa traseira também era maior e mais inclinada. Os dois carros não eram totalmente idênticos idênticos, cada um com suas características pessoais, mas eram relacionados.

Naquela época, a NASCAR levava o ‘estoque’ nas corridas de stock car a sério – os veículos a serem corridos tinham que estar disponíveis ao público em geral e ser vendidos em número suficiente, um requisito conhecido como homologação. 

Na verdade, em 1970, a NASCAR aumentou a exigência de produção de 500 exemplares para um para cada 2 revendedores do Fabricante nos Estados Unidos; para Plymouth, isso significava construir 1.920 Superbirds. 

1970 foi seu único ano de produção.

Características Plymouth SuperBird

Todos os Superbird usados ​​para corrida foram equipados com o motor 426 Hemi, mas para as ruas, dois motores menores estavam disponíveis, o 440 Super Commando com um único carburador de 4 barris e o 440 Six Barrel com três carburadores de dois barris. 

plymouth superbird no Brasil
plymouth superbird no Brasil

O 426 Hemi era um mutor de 7 litros com 430 cv. Fazia de 0 a 100 km/h em 5,6 segundos e atingia 320 km/h.

Apenas 135 carros de rua foram equipados com o 426 Hemi, e o resto foi equipado com o 440 Super Comando. O 440 era menos caro de produzir, e o motor 426 Hemi foi homologado produzindo um número mínimo que era opcional em vários veículos diferentes da Chrysler, Dodge e Plymouth.

Richard Petty adotou o carro. O Superbird se saiu razoavelmente bem contra a forte oposição da Ford nas pistas da NASCAR naquele ano de 1970, vencendo oito corridas e se classificando bem em muitas outras.

PLYMOUTH SUPERBIRD NO BRASIL

Ao contrário da crença popular, o Superbird e os outros carros com maior aerodinâmica da NASCAR não foram proibidos de imediato. As regras implementadas para a temporada de 1971 limitaram os carros aeronáuticos a uma cilindrada de motor não superior a 305 in³ (5,0 L) ou teriam que carregar muito mais peso em comparação com seus concorrentes. 

Embora ainda fossem legais para competir, a extrema perda de potência que viria com o motor menor ou o aumento de peso tornaram os carros não competitivos. 

Esse foi o início de uma tendência de regras que desaceleraram a NASCAR, pois as corridas estavam superando a tecnologia de pneus e a segurança a mais de 320 km / h. 

Com mudanças nas regras da Nascar para 1971, o Plymouth SuperBird foi produzido em um único ano, 1970.

Aceitação do público ao Superbird

O estilo do Superbird provou ser um pouco extremo para os gostos de 1970, pois muitos clientes preferiam o Road Runner regular. Como consequência disso, muitos exemplares não foram vendidos em muitas concessionárias até 1972.

Na verdade, alguns foram reconvertidos em Road Runners de 1970 para conseguissem vendê-los. 

Há histórias em que vendedores recebiam ofertas apenas para compra do motor do carro, sem a carroceria. O 426 Hemi era muito procurado, mas o Superbird era bem indesejado, difícil imaginar isso nos dias de hoje, já que agora é um carro altamente almejado.

Plymouth SuperBird no Brasil

Nessa primeira semana de Março de 2021, chegou o primeiro Plymouth SuperBird no Brasil.

O exemplar que chegou em terras brasileiras é amarelo equipado com o motor V8 440, não se sabe exatamente a transmissão que o carro possui, 4 marchar manual ou 3 marchas automático.

O veículo mal chegou e causou grande movimentação nas redes sociais. Muitos compartilhando essa maravilha.

O SuperBird, apesar de rejeitado lá em 1970, hoje é extremamente valorizado.

Fora do país, nos Estados Unidos, já é possível encontrar SuperBirds sendo vendidos a partir de U$ 150.000 e U$ 200.000. Praticamente ultrapassando a casa do milhão (de reais) por aqui, isso para um com motor 440.

Um 426 original de época, pode chegar hoje a quase 1 milhão de dólares.

Algumas fontes e informações, o primeiro Plymouth Superbird no Brasil foi adquirido por mais de 2 milhões de reais!

E aí? Quem que já está ansioso pra ver essa obra de arte rodando pelas nossas ruas e estradas?

SuperBird na NASCAR

Conheça a história do Shelby Cobra pessoal de Carroll, leiloado por mais de U$ 5 milhões.