História do SIMCA CHAMBORD

História do Simca chambord História do Simca chambord

Chegada da marca ao Brasil

A história do Simca Chambord e da marca Simca (Societé Industrielle de Mécanique et Carrosserie Automobile) aqui no Brasil começou em Belo Horizonte.

Por problemas de logística e produção, em maio de 1958 a empresa ficou somente com a fábrica de São Bernardo do Campo, SP.

Seu primeiro carro foi apresentado ainda no mesmo ano em que chegou aqui, e no ano seguinte, saia da fábrica o primeiro carro produzido no Brasil.

Lançamento do Simca Chambord

No início de 1959 foi lançado o Simca Chamrbord. Suas primeiras unidades saíram da fábrica em março daquele ano, num total, 1;252 unidades foram produzidas.

História do SIMCA CHAMBORD

Possuía apenas 25% de nacionalização, a maioria de suas peças e componentes eram importadas da França.

Suas linhas e estilo chamaram atenção, principalmente sua traseira. O Chambord possuía um “rabo-de-peixe”, que relembrava o estilo da década passada.

Por conta de seu “rabo de peixe”, o Chambord era chamado popularmente de “Cadillac brasileiro”.

Foi apresentado como um sedan de luxo, e era referência nesse quesito e em sofisticação.

Foi o primeiro automóvel de luxo a ser construído no Brasil sob licença, entre 1959 até 1967.

Apesar de sua boa aparência, a primeira versão do Chambord tinha o desempenho comprometido pelo motor Aquilon. Era V8 antigo de válvulas no bloco, fraco e ultrapassado, era uma herança da Ford francesa e que já havia sido abandonado pela Ford norte-americana.

O carro não acompanhou a evolução da indústria. Usava um motor Ford da década de 1930, um V8 de 84 cavalos de potência de 2.351 cm³. A transmissão era de 3 marchas na coluna e tração traseira.

Sua aceleração de 0-100 era em 26,7 segundos e sua velocidade máxima de 135 km/h. Motivo disso também era seu peso, mais de 1.200 kg. O que não agradava muito o mercado, apesar de seu motor V8 e todo seu conforto.

Ao longo dos anos a nacionalização do veículo foi aumentando, atingindo 85% em 1961.

Simca Chambord V8 Tufão

A história do Simca Chambord ganha nova vida em 1964 a Simca fez uma grande reformulação em seus modelos, na estética e na mecânica. A marca lançou o Tufão e o Super Tufão, motores equipados com radioador a óleo.

História do SIMCA CHAMBORD
DCIM\100GOPRO\GOPR6803.JPG

O Tufão mantinha a cilindrada de 2.414 cm³, mas com taxa de compressão elevada para 8:1 a potência subia para 100 cv, enquanto no Super Tufão a cilindrada aumentava para 2.515 cm³ e a potência chegava a 112 cv.

Surgiu então o popularmente conhecido Simca Chambord V8 Tufão.

O novo motor acelerava o Simca Chamord de 0 a 100 km/h em 16 segundos e ultrapassava 160 km/h.

Em 1966 foi lançada a nova linha Emi-Sul, um motor bem mais potente. Possuía válvulas de alumínio e câmaras de combustão hemisféricas, chegando a 140 cavalos, mesmo deslocando 2.414 cm³.

História do SIMCA CHAMBORD
Motor Emi-Sul
História do SIMCA CHAMBORD
Motor Emi-Sul

Fim da história da marca Simca

E pouco antes de a Simca completar seu 50.000º veículo produzido no país, em agosto de 1967 a Chrysler Corporation concretizou a compra de 92% das ações da empresa. A Simca do Brasil deixava de existir e nascia a Chrysler do Brasil.

A fábrica seguiu suas atividade até 1967, quando foi comprada pela Chrysler.

Durante esses quase 10 anos, a Simca produziu um total de 50.833 veículos. Os modelos: Chambord, Présidence, Rallye, Jangada, Alvorada, Profissional, Regente e Esplanada.

Assim acaba a história do Simca Chambord.

Leia também: Nosso top 5 carros nacionais.